quinta-feira, 21 de abril de 2016

a poesia pulsa



A poesia pulsa
para Tanussi Cardoso

aqui
a poesia pulsa
na veia
no vinho
no peito
no pulso
na pele
nos nervos
nos músculos
nos ossos

posso falar o que sinto
posso sentir o que posso

aqui
a poesia pulsa
nas coisas
nos códigos
nos sígnos
os significantes
os significados

aqui
a poesia pulsa
na pele da minha blusa
na menina dos olhos da musa
nas pipas nos arcos
nas madrugadas dos bares
descritas num guardanapo
no copo de vinho
na boca de vênus
na bola da vez da sinuca
sangrada pelo meu taco

aqui
a poesia pulsa
nos cabelos brancos de Bacca
na divina língua de Baco

Artur Gomes
FULINAÍMA Produções

Nenhum comentário:

Postar um comentário