sexta-feira, 8 de abril de 2016

bolero blue




Bolero Blue

beber desse conhaque
em tua boca
para matar a febre
nas entranhas
entre os dentes
indecente
é a forma que te bebo
como ou calo
e se não falo quando quero
na balada ou no bolero
não é por falta de desejo
é que a fome desse beijo
furta qualquer outra
palavra presa
como caça indefesa
dentro da carne que não sai.

Artur Gomes


(escrito numa madrugada boêmia de 2002 em Bento Gonçalves depois da noite de Abertura da 10ª Edição do Congresso Brasileiro de Poesia, em cia da musa que o inspirou, este poema gravado posteriormente na mesma cidade de Bento Gonçalves-RS pode ser visto e ouvido na voz do seu próprio autor no Museu da Língua Portuguesa - Estação da Luz - São Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário