sexta-feira, 8 de abril de 2016

jura secreta 134


jura secreta 134

essa coisa sagrada nos mitos
que ainda não tem os olhos de Íris
entre meus músculos elétrica passeia
pelos mares quânticos
em atlânticas equações de meta física
como se em teus nervos
abrigo procurasse
e se abrindo me entregasse
a flor amora logo abaixo do umbigo

Artur Gomes
FULINAIMAGEM – A Poesia Proibida de Artur Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário