quinta-feira, 21 de abril de 2016

poÉtikas


Poética Fulinaímca 2

a língua lambe tua carne pêra
os dentes mordem a maçã de maio
o vinho desce entre  tuas praias
sem nenhum gemido
quanto entro com palavra toda
pelas fendas do teu cais
quem dera fosse esse pulsar pra sempre
essa ternura quântica
pele a pele e nervos
na tecitura dos teus músculos
e esse A maiúsculo entre o vão das coxas
em que o prazer as tantas 
pede orgasmo e gozo 
por todo  mar da praia
com tudo meu em tua boca 



Moenda

usina
mói a cana
o caldo
e o bagaço

usina
mói o braço
a carne
o osso

usina
mói o sangue
a fruta
e o caroço

tritura suga torce
dos pés até o pescoço

e do alto da casa grande
os donos do engenho controlam
o saldo e o lucro


Artur Gomes
do livro: Suor & Cio - MVPB Edições - Ipanema-RJ - 1985 - www.goytacity.blogspot.com





Nenhum comentário:

Postar um comentário