segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Suor & Cio


Galope

teus órgãos tem o dom
de devorar entranhas
mexendo nervos músculos
em mim, cavalo não domado
quando em tuas pradarias
esporas por querer
nossa carne nos lençóis
do mais líquido prazer

Ser/Teu

aqui me tens,
nesse segundo orgasmo:
mata-me de prazer
que ainda é tempo.

tira depois
todo excesso de saliva
que me vem à boca
após cumprido ato
no instante exato de ser  teu:
               morro
aqui, e agora
e se preciso sempre
mas o pensamento é testemunha
ontem era uma outra
quem me possuiu.

Confissão

se em ti estou
é para alimentar o que não sou
e o que sou
não é represa.

é veia pública sob patas
posta de sangue na mesa
nada mais me é surpresa.
cansei de ser correto
deixei de ser decente
eu quero mesmo é o paladar
da tua língua
entres os meus dentes

Artur Gomes
no livro: Suor & Cio



Nenhum comentário:

Postar um comentário