domingo, 5 de março de 2017

poéticas fulinaímicas



Macunaíma

para se ter preguiça
quem atiça
é um coração macunaímico
um grande ser
fulinaímico
e lance os dados
quem souber
da piração na malandragem
pra se vestir com a tatuagem
das flores  do mal de Baudelaire

Artur Gomes Gumes
espírito santo

Guarapari aqui estou 
aqui me encontro
em estado de espírito santo
nesse mar azul e branco
como a s cores da Portela
o rio já passou em minha vida
nas marés de um serafim
mar é o que fica
como o deus que me habita
sem princípio meio ou fim

Federika Bezerra
foto: Artur Gomes


lavra da pa/lavra

como tecer a teia
que aranha tece
se a pergunta não tem resposta
e o poema nasce
antes de ter sido
linha ou lã
e o tecido se faz
mesmo sem palavra
quando a tempestade traça
trilhos de luz
nos raios desta manhã

Artur Gomes



Guarapari

entre o mar
o azul
as pedras raras
Guarapari
dentro de ti
ainda moro minha cara

Artur Gomes 

Nenhum comentário:

Postar um comentário