sábado, 6 de janeiro de 2018

santíssima trindade


santíssima trindade

érika era o azul entre a serra e o vinhedo teus lábios em minha boca teus seios entre meus dentes teus mamilos entre meus dedos  outubro 2008 eu a desejava paixão violenta desde o primeiro dia que a vi no Bar Dois Coqueiros lamparina por todos os poros naquela noite de poesia no Cefet em Bento Gonçalves-RJ ela ia aos poucos se abrindo em uvas como quem estivesse se oferecendo para  com tudo no palco o amor em estado bruto  que antevia o sexo não tinha mais dúvidas que naquela noite iríamos ao ato consumado não cabia mais em mim o silêncio das metáforas incandescentes descemos do palco abraçados como dois amantes em direção a rua quando num corredor da janela lateral ela me deu um beijo na boca e me apresentou a mãe  gelei mas seguimos para jantar na despedida outro beijo na boca e segui com a mãe para a cama

Artur Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário