domingo, 25 de fevereiro de 2018

o fauno e a flauta


o fauno e a flauta

o fauno lê Baudelaire
do outro lado da trama
enquanto dorme a donzela
com uma rosa entre as coxas

o fauno traça o poema
na geografia do corpo
atravessa o vértice do tempo
com o seu falo em chamas
por não ter juízo

e com a flauta toca
pétala por pétala
na porta de entrada
do pontal do paraíso

Artur Gomes

imagem: Daniela Pace

Nenhum comentário:

Postar um comentário